Comendador Araújo (41) 3079-1949
Santos Andrade (41) 3049-3107

Resultado da pesquisa por : Ciro Flamarion S Cardoso


Ensaios racionalistas

Ciro Flamarion Cardoso
ano: 1988
editora: Campus
estante: Sociologia Marxismo
peso: 330 gramas
cadastro: 04/12/17
código: 1000223179537
Estes ensaios cobrem uma vasta gama de tematicas e disciplinas. O que os torna solidarios e, em primeiro lugar, sua procupacao teorico-metodologica e, mais especificamente, com a problematica da filosofia das ciencias. Em segundo lugar, une-os uma tomada de posicao racionalista, em combate contra diversas posturas irracionalistas correntes na atualidade... Apresenta suave amarelamento do miolo devido ao tempo, raros pontos de acidificacao, pequeno resquicio de papel colado no anterrosto e leves sinais de armazenamento.





Escravo ou camponês?

Ciro Flamarion S. Cardoso
ano: 2004
editora: Brasiliense
peso: 310 gramas
cadastro: 23/12/14 - 10:43
código: 1000194072455
A vigência da escravidão como relação de trabalho única e absoluta durante o período colonial nas Américas é um mito. Mesmo antes da colonização brasileira, os portugueses já haviam estabelecido em outras colônias, como a ilha de São Tomé, uma forma de mão-de-obra mista entre a escravidão e o campesinato. Nesse caso, o escravo possuía pequenas cotas de terra, que podia cultivar uma vez por semana e cuja produção lhe pertencia, podia vende-la no mercado e, assim, arrecadar dinheiro necessário para comprar sua carta de alforria. *Livro novo, sem uso*.





Escravo ou camponês?

Ciro Flamarion S. Cardoso
ano: 2004
editora: Brasiliense
peso: 310 gramas
cadastro: 23/12/14 - 10:43
código: 1000194072486
A vigência da escravidão como relação de trabalho única e absoluta durante o período colonial nas Américas é um mito. Mesmo antes da colonização brasileira, os portugueses já haviam estabelecido em outras colônias, como a ilha de São Tomé, uma forma de mão-de-obra mista entre a escravidão e o campesinato. Nesse caso, o escravo possuía pequenas cotas de terra, que podia cultivar uma vez por semana e cuja produção lhe pertencia, podia vende-la no mercado e, assim, arrecadar dinheiro necessário para comprar sua carta de alforria. *Livro novo, sem uso*.





Escravo ou camponês? o protocampesinato negro nas américas

Ciro Flamarion S Cardoso
ano: 2004
editora: Brasiliense
estante: Antropologia
peso: 322 gramas
cadastro: xx/xx/xx
código: 1000194209226
Livro Novo. Loc: Estudos Afros.A vigência da escravidão como relação de trabalho única e absoluta durante o período colonial nas Américas é um mito. Mesmo antes da colonização brasileira, os portugueses já haviam estabelecido em outras colônias, como a ilha de São Tomé, uma forma de mão-de-obra mista entre a escravidão e o campesinato. Nesse caso, o escravo possuía pequenas cotas de terra, que podia cultivar uma vez por semana e cuja produção lhe pertencia, podia vende-la no mercado e, assim, arrecadar dinheiro necessário para comprar sua carta de alforria. Cód. Barras: 1000194209226 Cód. Interno: Loja: Sebo Kapricho II





Editoras

Campus
Brasiliense


0 - 4 de 4